CAXIRI NA CUIA: Servidora da DPE-RR tem foto autoral em exposição paraense

As obras estão disponíveis no site www.iphan.gov.br

De Belém (PA) a Manaus (AM), do rio Amazonas ao lavrado roraimense, diversos retratos compõem a exposição virtual “Habitar a água: cultura e paisagens nas Amazônias”, disponível on-line a partir desta segunda-feira (18) no site www.iphan.gov.br. O evento é promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Pará (Iphan-PA), a exposição reúne fotografias abordando a cultura amazônica em suas variadas dimensões.

No total foram recebidas 63 submissões de 12 estados brasileiros, com mais de 200 fotos, sendo selecionadas 43 imagens, individuais e em séries, de 29 profissionais.

Diante da pandemia de covid-19, a exposição, até então planejada para ocorrer em uma galeria de Belém (PA), passou a ter caráter virtual. Essa foi uma alternativa encontrada para, enquanto durar a situação de emergência em saúde pública, dar continuidade às atividades do Iphan e, ao mesmo tempo, manter o isolamento social como medida de contenção da pandemia.

“Estamos tentando nos adaptar ao período delicado que estamos passando e encontramos na exposição virtual uma alternativa viável para manter a exposição que já estava agendada para este semestre”, diz a superintendente do Iphan-PA, Rebeca Ferreira. “Desta forma, também é possível alcançar um maior número de visitantes, que podem conhecer e divulgar o trabalho dos participantes, assim como o nosso rico patrimônio.”

A exposição procurou diferentes abordagens sobre a região amazônica, tendo como eixo central o caráter cultural da paisagem: saberes, trabalho, práticas, trocas e significados que navegam por entre trapiches, portos e periferias de cidades e comunidades do interior da região. A mostra reúne fotografias que retratam identidades amazônicas e memórias.

A partir de rios, igarapés e canais, em meio urbano e rural, a mostra congrega imagens que se situam na interação entre ser humano e natureza. Materialidades socioeconômicas atravessando significados culturais, tendo como norteador o Patrimônio Cultural, que interagem e constroem diferentes populações que habitam as Amazônias. Ao término da pandemia da Covid-19, a exposição deverá retomar o plano original e ser realizada em uma galeria.

 

Fotógrafos consagrados e novatos têm obras na exposição que retratam identidades amazônicas e memórias

 

A exposição “Habitar a água: cultura e paisagens nas Amazônias”, do IPHAN, reúne fotógrafos com diversas experiências, desde fotógrafos consagrados, a novatos que participam pela primeira vez da exposição do Iphan. Há cerca de um mês, foi lançada a convocatória para submissão de fotografias que comporiam a exposição “Habitar a água: cultura e paisagens nas Amazônias”. As fotos foram selecionadas no último dia 11.

Entre os 29 selecionados, está a estreante roraimense Narrila Bessa de Brito, de 28 anos, bacharel em Direito. Ela é servidora da Defensoria Pública Estadual de Roraima e adotou a fotografia como hobby há um tempo, após um curso básico de fotografia à distância, e seguiu praticando. “Gosto muito de fotografar pessoas e suas expressões, mas sou igualmente amante de paisagens”, declara. Na exposição do IPHAN, apresenta a fotografia “Caxiri na cuia”.

“Minha obra ‘Caxiri na cuia’ é o retrato de um momento muito comum em comunidades indígenas, pelo menos, aqui em Roraima, onde tive a oportunidade de conhecer várias delas. Na imagem, a tuxaua da comunidade bebe o último gole de caxiri daquela cuia e o faz tal como nós mesmos fazemos, quando chegamos em nossas casas, após um longo dia de trabalho e abrimos uma boa cerveja gelada, assim eu senti o momento. O caxiri é uma bebida típica indígena, alcoólica, elaborada a partir da fermentação do insumo da mandioca. É uma tradição marcante, é o retrato da cultura do povo indígena e é realmente muito apreciado por eles”, compara.

 

Exposição “Habitar a água: cultura e paisagens nas Amazônias”

Data: 18 de maio de 2020

Local: www.iphan.gov.br

Top
×
POP UP